https://davimartini.com.br/wp-content/uploads/2020/04/bg-mcf.gif

A resposta mais rápida que obtemos, a partir do senso comum, está associada à nossa cultura do “cadeado quebrado”, ou seja, depois que o problema já ocorreu. Isso porque existe o entendimento equivocado que associa advocacia à demanda judicial, ou seja, quando não haveria mais solução negociada e pacífica possível, e fora do debate judicial. Desse modo, é costume enxergar o trabalho da advocacia como despesa e não como investimento. Nada mais equivocado!

Nosso Ordenamento Constitucional determina que a advocacia é indispensável à administração da Justiça, no ambiente do Estado Democrático de Direito em permanente construção, implicando na compreensão e na ação cidadãs. Mas o papel do advogado não está limitado ao patrocínio de demandas judiciais.

Podemos constatar e demonstrar que a prevenção sempre é melhor que qualquer remédio ou remendo. Vejam-se os desastres ambientais recentes no Brasil: as projeções dos custos sociais de médio e longo prazo, a tragédia de famílias inteiras e a lenta e dolorosa recuperação. A prevenção é, a médio prazo, menos onerosa para a pessoa – física ou jurídica, pois pode evitar os custos e a demora das soluções judiciais, os riscos inerentes da demanda e os desastres e tragédias. A longo prazo, a prevenção é geradora de valor agregado à marca e/ou ao nome. A esse valor denominamos responsabilidade social, ou seja, posturas, ações e comportamentos voluntários de pessoas e empresas visando o bem-estar social geral.

A responsabilidade social é voluntária porque não se vincula a obrigação, pena ou isenção tributária, estando associada às ações preventivas e denotando, por parte dos envolvidos, uma visão de futuro sustentável, ou seja, equilibrado em relação à produção, ao consumo e às demandas sociais e ambientais.

Desse modo, na atuação no campo do Direito Ambiental, a advocacia preventiva, em regra, viabiliza custos menores com resultados mais eficazes. Sob o manto da Constituição Federal, o meio ambiente é entendido como bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida, devendo ser defendido e preservado para as atuais e futuras gerações. E cabe a todos nós o zelo pela sua conservação.

Reunindo assim os conceitos de prevenção e responsabilidade social, o Escritório de Advocacia Davi & Martini oferece, através de sua equipe especializada de mestres e doutores com ampla experiência, soluções para empresas e municípios, mormente os de feição ambiental.

Porque prevenir é sempre a melhor escolha!